A ridícula verdade sobre o sal.

Existe realmente uma ligação entre o sódio e a hipertensão? Aqui estão os fatos.

60

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Sabes que cada vez que jantas com a família, alguém, geralmente uma mulher ou filha preocupada, adota o papel da mandrião do jantar e repreende o pai ou o avô por usar muito sal?

Bem, eu tenho boas notícias para o pai, o avô e qualquer outra pessoa preocupada com o papel que o sal desempenha na hipertensão: Praticamente todos os medos que temos sobre os efeitos do sal na pressão arterial alta vêm de dois estudos ridículos, um de 1904 e outro da década de 1970 …. incrível.

Tenho pressão arterial elevada!

Em 1904, alguns médicos franceses relataram que 6 de seus pacientes apresentavam hipertensão arterial. Também observaram que esses mesmos pacientes usavam muito sal na alimentação. Isto foi tudo o que precisaram para que a fobia do sal se movimenta-se nos próximos cem anos. Nenhuma evidência clínica, apenas a mais casual de observações.

As preocupações intensificaram-se na década de 70 quando Lewis Dahl do Brookhaven National Laboratory informou que tinha provas “inequívocas” de que o sal estava ligado à hipertensão arterial.

E esta afirmação foi estupidamente má, pois na realidade ninguém leu as letras pequenas do seu estudo. Sim, a alimentação de sódio em ratos causou o desenvolvimento de hipertensão, mas ele alimentou-os com o equivalente ao humano de 500 gramas de sódio por dia. O problema é que o humano de estrutura  média só consome cerca de 3 a 4 gramas por dia, como digo, afirmação estupidamente má.

Então, sim, comer mais de 500 gramas de sódio por dia provavelmente causaria hipertensão arterial num humano. Também faria com que os teus rins explodissem.

Independentemente destas observações, o Comité de Nutrição e Necessidades Humanas do Senado dos EUA aeitou o trabalho de Dahl e, em 1977, recomendou que os americanos reduzissem seu consumo de sal em 85%.

Que prova existe, que prove que estes Senhores estavam errados?

Os médicos continuaram a levar estes avisos a sério, provavelmente porque os estudos de acompanhamento eram pequenos ou não relatados. Mas, em meados de 2011, o American Journal of Hypertension publicou uma meta-análise de sete estudos envolvendo 6.250 indivíduos.

O estudo não relatou qualquer forte evidência de que diminuir a ingestão de sal reduziria o risco de acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco em pessoas com pressão arterial normal ou alta.

No mesmo ano, o Journal of the American Medical Association publicou um estudo apresentado por alguns cientistas europeus que teriam entusiasmado os amantes de cinema com potes gigantes de pipocas salgadas.

Eles relataram que quanto menos teor de sódio os sujeitos de teste tinham na urina, maiores eram as chances de morrer. (A maior parte do sal que comemos é excretado através da urina, de modo a medir a quantidade de xixi nos dá uma boa ideia de quanto sal foi ingerido anteriormente ).

Depois, houve o estudo de 2006 no American Journal of Medicine que analisou a ingestão diária de sal de 78 milhões de americanos. Descobriu que a ingestão de sal correlacionou-se negativamente com a taxa de mortalidade. Por outras palavras, quanto mais as pessoas usavam sal na comida, menos probabilidades havia de morrerem por doença cardíaca.

A redução do sal reduz a pressão sanguínea?

Um grande meta-relatório, financiado pelo Departamento de Saúde dos EUA, descobriu que cortar a ingestão de sal reduz a pressão arterial. Eles analisaram o resultado de 11 estudos de redução de sal e descobriram que as dietas com baixo teor de sal realmente diminuíram a pressão arterial sistólica em média 1,1 milímetros de mercúrio e pressão arterial diastólica em 0,6 milímetros de mercúrio.

Ho-hum. De acordo com a escritora científica Melinda Wenner Moyer, escrevendo na Scientific American, “Isso é como passar de 120/80 a 119/79”.

O que devo fazer com todas estas “Novas” informações ?

Antes de dar a impressão de que quanto mais sal comeres melhor, é preciso acrescentar que um certo segmento da população realmente é sensível ao sal e que o excesso de sódio pode aumentar a pressão arterial.

A grande maioria das pessoas está segura, porém, uma vez que a conexão entre a ingestão de sal e a pressão alta é, para eles, em grande parte um mito honrado.

No entanto, a ingestão máxima recomendada é de cerca de 2300 mg., Mas muitos portugueses  pulverizam duas vezes esse montante. Pode não representar para já um problema, mas o uso a longo prazo de quantidades realmente grandes está associado a um aumento nos casos de danos nos rins e possivelmente até ao risco de declínio cognitivo.

O meu conselho para todos, exceto as pessoas sensíveis ao sal, sensíveis à hipertensão é usar o saleiro tanto quanto quiseres (dentro do bom senso), mas evitar alimentos enlatados, fast foods e alimentos processados ​​em geral porque eles geralmente contêm bastante sal.

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.