Creatina funciona melhor em certos músculos

Surpreendentemente, a creatina funciona melhor para certos músculos do que para outros. Dá uma olhadela nesta nova descoberta.

265

Os suplementos usados para a construção muscular foram sempre tidos em conta com os seus efeitos democráticos, ou seja, funcionavam de igual modo em todo o corpo/massa muscular. Sempre se pensou que tomava-mos os suplementos e que o nosso corpo crescia uniformemente. Peito, ombros, costas, braços e pernas aumentam de tamanho.

Mas parece que a creatina pode vir a ser um “outsider”. Não só já provou em estudos anteriores que aumenta mais a força da parte superior do corpo mais do que a força do inferior do corpo, mas de acordo com a nova pesquisa do contribuidor Brad Schoenfeld e dos seus colegas, parece que a creatina também pode produzir maior crescimento na parte superior do que a parte inferior do corpo.

O que fizeram para chegarem a esta conclusão?

O grupo de Schoenfeld1 recrutou 43 indivíduos com treinos de resistência nos seus vinte e poucos anos para participar de um estudo aleatório, duplo-cego, controlado por placebo.

Todos os indivíduos receberam creatina ou placebo ao longo de um período de 8 semanas. Primeiro entraram numa fase de carga (7 dias, quatro doses de 0,03 gramas por quilograma de peso corporal por dia) seguido de uma fase de manutenção (7 semanas, dose única de 0,03 gramas por quilograma de peso corporal por dia).

Enquanto na creatina ou no placebo, os indivíduos treinaram 4 vezes por semana usando uma rotina dividida em dois:

  • Segunda e quinta: Peito, ombros, tríceps, abdominais
  • Terça e sexta-feira: costas, bíceps, pernas e gêmeos

A massa muscular foi medida antes e após o período de 8 semanas usando  de raios-X  de dupla energia absorptiometria (DEXA).

O que encontraram nos resultados?

Ambos os grupos (placebo e creatina) apresentaram aumento muscular significativo nos “membros superiores”, “membros inferiores” e “tronco”, mas conforme esperado o grupo da creatina melhorou muito em relação ao grupo do placebo.

O que não era esperado, porém, era que os membros superiores do grupo de creatina ganharam (7,1 + 2,9%) duas vezes mais tecido magro que os membros inferiores (3,2 + 2,1%) e mais de três vezes o tecido magro no  tronco ( 2,1 + 2,2%).

O crescimento do tecido magro do grupo placebo, embora consideravelmente menor do que o grupo da creatina, foi, no entanto, bastante igual; Todas as partes do corpo cresceram de igual modo.

A equipe observou que a creatina é preferencialmente absorvida pelos músculos de contração rápida e que os músculos do corpo inferior geralmente têm menos músculos de contração rápida. Portanto, faz sentido que os músculos do corpo superior cresçam mais do que a parte inferior do corpo, pois tem mais fibras musculares de absorção de creatina.

O que que é que isto significa para ti?

Schoenfeld e os outros pesquisadores são rápidos a apontar que o programa de exercícios que criaram proporcionou maior volume para os músculos dos membros superiores do que para os músculos dos membros inferiores.

Deliberadamente projetaram o programa de exercícios desta forma porque achavam que era consistente com os programas típicos do tipo musculação, ou seja, eles queriam “preservar a validade ecológica ao invés de igualar o volume entre os segmentos do corpo”.

Com certeza, é possível que os membros inferiores não cresçam tanto quanto os membros superiores porque não havia volume suficiente para fazer crescer as pernas. Ainda assim, é difícil ignorar o fato de que a parte inferior do corpo tem menos músculos de contração rápida que absorvem a creatina. Esse fato, por si só, faz sentido em explicar a discrepância de crescimento entre crescimento superior e menor.

Tudo bem, mas talvez a verdadeira lição aqui é que quem treina deveria dar às suas pernas mais volume de treino do que normalmente fazem. Talvez então as taxas de crescimento entre o corpo superior e inferior abordem a paridade, independentemente de estarem a usar creatina ou não..

1.
Nunes J, Ribeiro A, Schoenfeld B, et al. Creatine supplementation elicits greater muscle hypertrophy in upper than lower limbs and trunk in resistance-trained men. Nutr Health. 2017;23(4):223-229. [PubMed]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.