Toma Aspirina uma vez por dia

6 razões para tomar este medicamento sem receita médica

244

Aspirina para Corte e Longevidade

Provavelmente é a “droga” mais antiga do mundo e a que gostarias de levar contigo se estivesses encalhado em uma ilha deserta. Aqui estão seis razões pelas quais é uma droga tão versátil e atraente:

1 – A Aspirina Queima Gordura Corporal

O salicilato, um dos metabolitos ativos importantes na aspirina, aumenta a atividade da proteína quinase ativada com adenosina monofosfato (AMPK), que desempenha um papel importante na regulação do crescimento celular e do metabolismo. Por outras palavras, a aspirina promove o metabolismo de ácidos gordos e hidratos de carbono através da regulação AMPK (pelo menos em ratos).

Este é um mecanismo compartilhado pela droga metformina para diabetes Também pode ajudar a explicar por que é que o trio efedrina/cafeína/aspirina (eca) foi um cocktail de gaseificação tão potente na década de 90 (antes da efedrina ser banida para uso em qualquer coisa).

2 – A aspirina evita o cancro da pele

A ciência/humano conseguiu remendar um pouco a camada de ozono, mas os raios ultra violetas continuam a atacar o nosso DNA e a causar carcinoma, a criar células escamosas e queratose actínica (condição pré-cancerosa da pele). Usa todo o protetor solar que quiseres, mas, a menos que te cubras o oxido de zinco, o teu DNA das células da pele está lentamente a ser “fritado” pela luz do sol.

A aspirina pode ser capaz de ajudar. Os australianos que passam o dia todo ao sol, levam o cancro de pele muito a sério, em alguns estudos descobriram que as pessoas que usaram aspirina pelo menos duas vezes por semana durante cinco anos reduziram o risco de cancro da pele em 60%, enquanto aqueles que a usaram diariamente durante os mesmos 5 anos viram uma redução de 90%. Estes benefícios, alegadamente, começam a aparecer após um ano de uso.

Além disso, outro estudo publicado na revista Cancer, descobriu que 60.000 mulheres caucasianas que tomaram aspirina pelo menos algumas vezes por semana apresentaram 20% menos probabilidades de desenvolver melanoma, a forma mais mortal de cancro de pele.

3 – A aspirina impede a doença cardíaca

Todo mundo já conhece isto, já que faz parte da sabedoria da aspirina desde o final da década de 1940, mas ainda é importante mencionar. E, se precisarmos de mais provas, uma meta-análise de mais de 55.000 homens e mulheres de 2003 mostrou que o uso de aspirina foi associado a uma redução de 32% no risco de ataque cardíaco e a uma redução de 15% em todos os eventos vasculares de maior intensidade.

4 – A aspirina anula os danos causados pelos radicais livres

O principal problema no envelhecimento não é o que comumente associamos aos radicais livres, mas a “vazamento” de radicais livres nas organelas celulares conhecidas como mitocôndrias .

Se houver demasiada vazão de radicais livres quando as mitocôndrias produzem energia (ATP), as mitocôndrias desligam-se a elas próprias. Se muitas mitocôndrias se desligam, a célula morre. Se muitas células morrem, o órgão morre. Muita disfunção orgânica e o corpo morre.

Precisas de alguma forma de acelerar o fluxo de eletrões nas mitocôndrias, o que diminui o vazamento de radicais livres. Por outras palavras, precisas de “desacoplar” a cadeia respiratória. Quando o fluxo de eletrões é desassociado da produção de ATP, a respiração então se dissipa como calor.

Drogas como o ecstasy e a droga DNP  desacoplam a cadeia respiratória, mas não sem efeitos colaterais problemáticos. Acontece que a aspirina também o faz, mas infelizmente não tão bem quanto as drogas acima mencionadas. Ainda assim, parece que a aspirina pode ser uma valiosa droga de longevidade.

5 – Aspirina luta contra a inflamação

Se dedicares tempo suficiente para estudar dados médicos, começarás a ver que a inflamação pode muito bem ser a causa da maioria das doenças que afligem a vida dos mamíferos. Asma, diabetes, doenças cardíacas, disfunção auto-imune, eczema, vários tipos de cancro, é só escolheres , todos podem estar ligados ao tipo errado de inflamação.

A aspirina, no entanto, reduz o excesso de inflamação. A aspirina, como a curcumina é composta de plantas, anula as enzimas COX para que os produtos químicos pró-inflamatórios tais como prostaglandinas e tromboxanos não possam ser formados. Ao fazê-lo, a aspirina diminui a inflamação, a febre, a dor, a coagulação do sangue e, mais importante, podem anular o desenvolvimento de muitas doenças inflamatórias.

6 – A aspirina combate a nova ameaça de Cancro nos jovens

Por algum motivo que ainda não está claro, as taxas de cancro colorretal aumentaram dramaticamente nos jovens.

“As pessoas nascidas em 1990 agora têm o dobro do risco de cancro do cólon e quadruplicam o risco de cancro retal em comparação com pessoas nascidas em 1950”, explicou Rebecca Siegel, MPH, da American Cancer Society.

A aspirina, no entanto, provou que reduz drasticamente a incidência de cancro de cólon em geral. Se a toma de aspirina numa idade precoce teria os mesmos efeitos preventivos do que para as pessoas mais velhas, ou é mesmo uma boa idéia para aqueles que só têm um risco médio de desenvolver a doença, é desconhecida.

Possíveis Problemas

  • A aspirina pode causar úlceras em um pequeno segmento da população.
  • A aspirina pode exacerbar distúrbios hemorrágicos.
  • A aspirina pode fazer com que as crianças pequenas desenvolvam a síndrome de Reye.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.